O Sujeito do Discurso nas Malhas do Digital

5945101-4
Pós-Graduação

Origem:

Psicologia
Psicologia: Processos Culturais e Subjetivação

Vigência

06/12/2018
06/12/2018
2018-11-29 00:00:00

Carga Horária

3 horas
2 horas
3 horas
120 horas
8
15 semanas

Responsável:

Lucília Maria Abrahão e Sousa
06/12/2018
07/12/2018
06/12/2018
29/11/2018



Refletir sobre o processo de inscrição da subjetividade na textualidade eletrônica, buscando interpretar o sujeito do discurso como cindido e atravessado pelo ideológico e pelo inconsciente. Priorizam-se os efeitos de sentido do processo de leitura e escrita nas malhas do digital, a saber, a linguagem e a subjetividade na internet.


O encurtamento das distâncias é apenas uma das facetas da comunicação hoje: voaram todos os pombos-correio, a caixa postal enferrujou e, não seria exagero dizer, o carteiro tende à extinção. As fibras óticas e a arrancada tecnológica duplicaram as infovias, de modo a facilitar um febril tráfego de mensagens. O espaço, inaugurado pelo desenvolvimento da microeletrônica e da informática, colocou os equipamentos de comunicação e transmissão de informações em uma esteira rolante veloz com produtos de última geração cada vez mais ousados. A fusão de equipamentos embrionou novas engenhocas eletrônicas, a saber, o computador se tornou também televisão, o celular conecta a internet e registra fotografias; tem-se projeto de criar uma só máquina com o máximo de recursos de comunicação. Aberto esse campo de fusão e hibridação tecnológicas entre suportes de informação, a viabilidade econômica do setor ganhou pujança no que diz respeito à difusão. A convergência entre tecnologias digitais, multimídia e realidade virtual, afeta e remodela as configurações de tempo e espaço.


Subjetividade e linguagem
O estatuto científico da língua
O lugar do discurso na ciência da linguagem
A era da comunicação em escala planetária: informação como espetáculo
A internet: nova topologia de leitura e escrita
O hipertexto
O sujeito do discurso, o sentido e a memória na malha digital
A historicidade e as condições de produção nos textos eletrônicos
Interpretação dos nós discursivos na/da grande rede


ARRIVÉ, M. Linguagem e psicanálise, linguística e inconsciente – Freud, Saussure, Pechon, Lacan. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1999.
ARRIVÉ, M. Lingüística e psicanálise – Freud, Saussure, Hjelmslev, Lacan e outros. São Paulo, EDUSP, 2001.
BAUMAN, Zygmunt. (1998). Globalização as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor
BOUQUET, S. Introdução à leitura de Saussure. São Paulo, Editora Cultrix, 1997.
CANCLINI, Nestor García. (2003). A globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras.
CASTELLS, Manuel. (2003). A galáxia da internet – reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.
CEBRIÁN, Juan Luis. (1998). A rede- como nossas vidas serão transformadas pelos novos meios de comunicação. São Paulo: Summus Editorial.
CHARTIER, Roger. (2002). Os desafios da escrita. São Paulo: Editora da UNESP.
CHESNEAUX, Jean. (1995) Modernidade-mundo. Rio de Janeiro: Editora Vozes.
DIZARD, Wilson. (2000) A nova mídia-comunicação de massa na era da informação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.
DOWBOR, Ladislau; IANNI Octavio; RESENDE, Paulo & SILVA, Hélio (org). (2000) Desafios da globalização. Petrópolis: Editora Vozes.
DUPAS, Gilberto. (2000). Ética e poder na sociedade da informação. São Paulo: Editora da UNESP.
FERREIRA, M. C. L. Da ambigüidade ao equívoco: a resistência da língua nos limites da sintaxe e do discurso. Porto Alegre, Editora da Universidade UFRGS, 2000.
FOUCAULT, M. Arqueologia do saber. Rio de Janeiro, Forense universitária, 1995.
GADET, F. e PECHEUX, M. A língua inatingível – o discurso na história da lingüística. Campinas, Pontes, 2004.
HENRY, P. A ferramenta imperfeita – língua, sujeito e discurso. Tradução Maria Fausta Pereira de Castro. Campinas, Editora da Unicamp, 1992.
IANNI, Octavio. (1999). A era do globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
LÉVY, Pierre. (1993). As tecnologias da inteligência. São Paulo: Editora 34.
LEVY, Pierre. (1996). O que é o virtual. São Paulo. Editora 34.
LEVY, Pierre. (1999). Cibercultura. São Paulo. Editora 34.
LOPES, E. A identidade e a diferença. São Paulo, Edusp, 1997.
MARIANI, B. Subjetividade e imaginário lingüístico. Revista Eletrônica Linguagem em (Dis)curso, vol.3, número especial, 2003. Disponível no endereço http://www3.unisul.br/paginas/ensino/pos/ linguagem/0303/04.htm. Acesso em 22 de maio de 2009.
MARIANI, B. Uma análise do discurso desejante. IN: O discurso nos domínios da linguagem e da história. Org. Pedro Navarro. São Carlos, Editora Claraluz, 2008.
MATTELART, Armand (2001). Comunicação mundo história das idéias e das estratégias. Petrópolis: Editora Vozes.
MILNER, J. C. Amor da língua. Porto Alegre, Artes Médicas, 1987.
MORAES, Denis de. (1998). Planeta mídia, tendências da comunicação na era global. Campo Grande: Letra Livre.
MORAES, Denis de. (org.) (1997). Globalização, Mídia e Cultura Contemporânea. Campo Grande: Letra Livre.
MORAES, Denis. (2001). O concreto e o virtual. Mídia, cultura e tecnologia. Rio de Janeiro: DP&A Editora
MORAES, Denis. (org). (2003). Por uma outra comunicação, mídias mundialização cultural e poder. Rio de Janeiro: Editora Record.
NEGROPONTE, Nicolas. (2002). A vida digital. São Paulo: Cia das Letras.
ORLANDI, E. Análise do discurso: princípios e procedimentos. Pontes: Campinas, 2003.
ORLANDI, Eni. (1986). O que é a Lingüística. (p.7-16) São Paulo: Editora Brasiliense.
ORLANDI, Eni. (org). (2003). Para uma enciclopédia da cidade. Campinas: Editora Pontes.
PARENTE, André. (org). (1993). Imagem-máquina a era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34.
PÊCHEUX, M. Discurso - estrutura ou acontecimento. Tradução Eni Orlandi. Campinas, Pontes, 1997.
PÊCHEUX, Michel. (1997). Semântica e discurso. Campinas, Editora da Unicamp, 1997
POSTMAN, Neil. (1992). Tecnopólio- a rendição da cultura à tecnologia. São Paulo: Nobel.
RAMONET, Ignácio (2002). Propagandas silenciosas- massas, televisão, cinema. Petrópolis: Editora Vozes.
RAMONET, Ignácio. (2001). Geopolítica do caos. Rio de Janeiro: Editora Vozes.
SANTOS, Laymert; Kehl, Maria Rita; KUCINSKI, Bernardo & PINHEIRO, Walter. (2003) Revolução tecnológica, internet e socialismo. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.
SANTOS, Milton. (2000). Por uma outra globalização do pensamento único à consciência crítica. Rio de Janeiro: Editora Record.
SAUSSURE, F. As palavras sob as palavras – Os anagramas de Ferdinand Saussure. Tradução Carlos Vogt. IN: Os pensadores. São Paulo, Abril S. A. Cultural e Industrial, São Paulo, 1975.
SILVEIRA, Sérgio Amadeu. (2003). Exclusão digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.
SILVERSTONE, Roger. (2002). Por que estudar a mídia? São Paulo: Edições Loyola.
THOMPSON, John B. (2001). A mídia e a modernidade. Petrópolis: Editora Vozes.
VOGT, C. As palavras sob as palavras – Os anagramas de Ferdinand Saussure. Tradução Carlos Vogt. IN: Os pensadores. São Paulo, Abril S. A. Cultural e Industrial, São Paulo, 1975.


Seminário em grupo e trabalho individual de conclusão da disciplina.


Página Anterior